fbpx

Hoje foi o meu primeiro dia correndo atrás de micro e pequenos empreendedores que queiram ajuda. Foi um tanto quanto frustrante. Só para que todos entendam. Estou desempregada e aproveitei para correr atrás do meu sonho. E meu sonho parece bem simples: ser a profissional de marketing / comunicação para micro e pequenos empreendedores, mas infelizmente (ou felizmente) tenho contas para pagar.

Então para fazer um valor que possibilite que eu pague minhas contas e ainda que os micro e pequenos empreendedores possam pagar fiz um questionário e tinha na minha cabeça que iria conseguir estipular esse valor, mas falhei na abordagem e dei um tiro pela culatra. O que aprendi é que antes de aplicar o questionário, tenho que saber se esses empreendedores estão interessados, senão serão questionários para mailing, que nesse momento não é o que busco.

E como comecei a minha busca:

Iniciei estipulando um raio de atuação. Percebi, durante esse tempo morando por aqui, que consigo ir facilmente a pé até a Henrique Shauman / Faria Lima / Luis Murat / Av. Rebouças, por tanto irei atuar entregando meus panfletos nessas regiões. E onde tiver empreendedores interessados no serviço de consultoria de marketing / comunicação aplicarei a pesquisa, espero ter forças suficiente.

Hoje já estava exausta, mas resolvi aproveitar a volta pra casa entregando panfletos do lado esquerdo da Teodoro Sampaio e quando penso que tudo está perdido eis que surge meus animadores. Ao final falo deles, mas antes quero compartilhar com vocês algumas percepções que tive.

  • Logo de início percebi que não tem muitas empresas que os donos ficam, mesmo sendo micro e pequenas;
  • A maioria que encontrei com os donos no local eles são orientais e mal falam português (não sei como os funcionários se comunicam com os chefes);
  • Tem algumas pessoas que não servem para atendimento, e é bem provável que estão ali só para ganhar um dinheiro no final do mês (triste isso), mas treinamento pode resolver muita coisa;
  • Quando perguntei para os que apliquei a pesquisa qual era o sonho deles quando eles abriram o negócio nenhum soube me responder. Acredito que mesmo sendo amor ao dinheiro temos que ter amor à alguma coisa para abrir um empreendimento;
  • Muitas empresas tem as portas fechadas o que me intimidou bastante, não sou vendedora e não sou invasiva, por isso não sei lidar com isso (eu não tocava a campainha e corria quando era pequena) e penso que para muitos possíveis clientes isso também é um problema, ou seja, perdendo vendas;
Então chegando ao fim da minha jornada consegui 4 empresas para fazer vários orçamentos e isso me animou bastante.
Agora o que vocês fariam de diferente no meu lugar?
Abraços e espero a ajuda de vocês!
E como diz André Foresti: A rua é sensacional. E tudo é planejamento. #soumegafadele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami